Ferro sérico

Publicado em


Ferro sérico


O exame de ferro sérico tem como objetivo verificar aconcentração do ferro no sangue da pessoa, sendo possível identificar se hádeficiência ou sobrecarga desse mineral, que pode indicar deficiênciasnutricionais, anemia ou problemas no fígado, por exemplo, dependendo daquantidade de ferro no sangue.

O ferro é um nutriente muito importante para o organismo,pois permite a fixação do oxigênio na hemoglobina, havendo transporte para todoo corpo, faz parte do processo de formação das hemácias e ajuda na formação dealgumas enzimas importantes para o corpo.


Fisiopatologia


O ferro é distribuído em pools metabólicos ativos e dedepósito. A reserva de ferro é cerca de 3,5 g nos homens saudáveis e 2,5 g nasmulheres saudáveis; a diferença está relacionada com o tamanho menor do corpodas mulheres e com a escassez de reserva de ferro por causa da perda de ferrodurante a menstruação. A distribuição do ferro corporal é:


  • Hemoglobina: 2 g (homens), 1,5 g (mulheres)
  • Ferritina: 1 g (homens), 0,6 g (mulheres)
  • Hemosiderina: 300 mg
  • Mioglobina: 200 mg
  • Enzimas teciduais (heme e não heme): 150 mg
  • Compartimento de transporte de ferro: 3 mg


Para que serve


O exame de ferro sérico é indicado pelo clínico geral com oobjetivo de verificar se a pessoa apresenta carência ou sobrecarga de ferro, eassim, dependendo do resultado, pode concluir o diagnóstico. Normalmente adosagem de ferro sérico é solicitada quando o médico verifica que o resultadode outros exames encontra-se alterado, como o hemograma, principalmente aquantidade de hemoglobina, ferritina e transferrina, que é uma proteínaproduzida pelo fígado que tem como função transportar o ferro para a medula,baço, fígado e músculos.

A dosagem de ferro é feito por meio da análise do sanguecoletado em laboratório e valor normal pode variar de acordo com o método dediagnóstico utilizado, sendo normalmente:


  • Crianças: 40 a 120 µg/dL
  • Homens: 65 a 175 µg/dL
  • Mulheres: 50 170  µg/dL


É recomendado que seja realizado jejum de pelo menos 8 horase a coleta seja feita pela manhã, pois é o momento em que os níveis de ferroencontram-se mais altos. Além disso, é importante não tomar suplemento de ferropelo menos 24 horas do exame para que o resultado não seja alterado. Asmulheres que fazem uso de anticoncepcional devem informar no momento da coletao uso do remédio para que seja considerado no momento da realização da análise,uma vez que os anticoncepcionais podem alterar os níveis de ferro.


Diagnóstico

Hemograma completo, ferro sérico, capacidade de fixação doferro, ferritina sérica, saturação de transferrina, contagem de reticulócitos,amplitude da distribuição de eritrócitos (RDW) e esfregaço de sangue periférico


Raramente, exame damedula óssea


Suspeita-se de anemia por deficiência de ferro em pacientescom perda crônica de sangue ou anemia microcítica, em particular se houvervontade de ingerir substâncias não alimentares (picafagia). Para essespacientes, solicitar hemograma completo, ferro sérico e capacidade de fixaçãodo ferro, ferritina sérica e contagem de Reticulócitos.

Dosar o ferro e a capacidade de fixação do ferro (esaturação de transferrina) porque sua relação é importante. Existem váriostestes; o intervalo dos valores normais se relaciona com o tipo de testeutilizado e varia entre um laboratório e outro. Em geral, o ferro sérico normalé 75 a 150 μg/dL (13 a 27 mmol/L) para homens e 60 a 140 μg/dL (11 a25 mmol/L) para mulheres; a capacidade total de ligação do ferro é 250 a450 μg/dL (45 a 81 mmol/L) e a saturação da transferrina é de 20 a 50%. Aconcentração de ferro sérico é baixa na deficiência de ferro e em muitasdoenças crônicas, sendo elevada nas síndromes hemolíticas e nas síndromesde sobrecarga de ferro. A capacidade de fixação do ferro aumenta na deficiênciade ferro, enquanto a saturação de transferrina diminui.

As concentrações de ferritina sérica secorrelacionam aos depósitos totais de ferro do corpo. A variação normal, namaioria dos laboratórios, é 30 a 300 ng/mL e a média é 88 ng/mL em homens e 49ng/mL em mulheres. Níveis baixos (< 12 ng/mL) são específicos dadeficiência de ferro. Mas a ferritina é um reagente de fase aguda, e seusníveis aumentam nas doenças inflamatórias e infecciosas (p. ex., nas hepatites)e nas doenças neoplásicas (especialmente na leucemia aguda, no linfoma deHodgkin e nos tumores do trato GI). Nesses casos, uma ferritina sérica de até100 ng/mL ainda é compatível com a deficiência de ferro.

A contagem de reticulócitos é baixa na deficiênciade ferro. O esfregaço de sangue periférico geralmente revela hipocromiaeritrocitária com anisopoiquilocitose importante, que se reflete na altaamplitude de distribuição do diâmetro dos eritrócitos (RDW).

O critério mais sensível e específico para a eritropoesedeficiente de ferro, contudo, é a ausência de depósitos de ferro na medula,embora um exame de medula óssea raramente seja necessário.


Ferro sérico baixo


A deficiência de ferro se desenvolve em estádios.No primeiro estádio, a necessidade de ferro excede sua ingestão, causandodepleção progressiva dos depósitos de ferro da medula óssea. À medida que osestoques diminuem, há elevação da absorção dietética de ferro. Durante osestádios tardios, a deficiência é grave o suficiente para ocasionarinsuficiência na síntese de eritrócitos, gerando anemia.

A deficiência de ferro, se for grave e prolongada, tambémpode provocar disfunção no conteúdo de ferro nas enzimas celulares.

A diminuição da quantidade de ferro sérico pode serpercebida por meio do aparecimento de alguns sintomas, como cansaço excessivo,dificuldade de concentração, pela pálida, queda de cabelos, falta de apetite,fraqueza muscular e tonturas, por exemplo.

O ferro sérico baixo pode ser indicativo ou consequência dealgumas situações, como por exemplo:

Diminuição da quantidade de ferro consumido diariamente;

Fluxo menstrual intenso;

Hemorragias gastrointestinais;

Alteração no processo de absorção de ferro pelo organismo;

Infecções crônicas;

Neoplasias;

Gravidez.

A principal consequência do ferro sérico baixo é a anemiaferropriva, que acontece devido à diminuição da falta de ferro no corpo, o quediminui a quantidade de hemoglobina e hemácias. Esse tipo de anemia podeacontecer tanto devido à diminuição da quantidade de ferro consumidodiariamente, como também devido a alterações gastrointestinais que tornam aabsorção do ferro mais difícil.


O que fazer

Caso o médico verifique que existe uma diminuição deferro no sangue e o resultado de outros exames também encontra-se alterado,pode ser recomendado o aumento do consumo de alimentos ricos em ferro, comocarnes e vegetais. Além disso, dependendo da quantidade de ferro e do resultadodos outros exames solicitados, pode ser necessária a suplementação de ferro,que deve ser feita conforme a orientação do médico para que não existasobrecarga.


Ferro sérico alto

Quando os níveis de ferro estão aumentados no sangue, podemsurgir alguns sintomas, como dor abdominal e nas articulações, problemascardíacos, perda de peso, fadiga, fraqueza muscular e diminuição da libido. Oaumento da quantidade de ferro pode ser devido a:

Alimentação rica em ferro;

Hemocromatose;

Anemia hemolítica;

Intoxicação por ferro;

Doenças do fígado, como cirrose e hepatite, por exemplo;

Transfusões sanguíneas sucessivas.

Além disso, o aumento do ferro sérico pode ser consequênciada suplementação excessiva de ferro ou aumento do consumo de suplementos oualimentos ricos em vitamina B6 ou B12. 


O que fazer

O tratamento para diminuir a quantidade de ferro sérico vaivariar de cordo com a causa do aumento, podendo ser indicado pelo médicoalteração na dieta, flebotomia ou uso de medicamentos quelantes de ferro, quesão aqueles que se ligam ao ferro e não deixam que esse mineral fique sendoacumulado no organismo.

 


x

Preencha corretamente com dados válidos.




Data de Nascimento:
Para se cadastrar você deve ter 18 anos ou mais.




Já possui uma conta? Entrar
x

Informe seus dados de acesso para entrar.


Esqueci a Senha

Você ainda não tem uma conta? Cadastre-se!