Tipos de exames

Além do check-up anual, existem outros testes que devem ser feitos por cada tipo de pessoa. Veja quais deles são necessários a você.


É comum sair de uma consulta médica com uma lista de exames laboratoriais a fazer: hemograma completo, urina, ultrassom, raio X. Mas você sabia que existe uma série de outros testes que são fundamentais para a manutenção da sua saúde? De acordo com a idade de cada paciente, há uma gama de diferentes exames, incluindo alguns que não fazem parte do check-up anual.
Mas antes de voltar correndo para o consultório solicitando uma nova bateria de testes, você precisa saber que eles são apenas a primeira fase do diagnóstico. "A consulta médica inicia-se com uma cuidadosa investigação clínica, que consiste em uma conversa minuciosa, seguida por um bom exame físico, no qual é possível definir possíveis anormalidades que irão guiar a solicitação de testes laboratoriais", explica o cardiologista Hélio Castello, coordenador do Centro de Hemodinâmica e Intervenções Cardiovasculares do Hospital Bandeirantes, em São Paulo.
Para Ana Cristina Camarozano, cardiologista do Hospital de Medicina e Cirurgia do Paraná, os exames de rotina e as recomendações de acordo com a faixa etária do paciente devem ser estabelecidos primariamente. "A necessidade de exames complementares deve ser avaliada pelo médico, de acordo com o risco que aquele paciente apresenta, seja pela apresentação de um sintoma, pela história familiar ou seus hábitos e costumes".
Então, afinal, qual é a hora certa de ir além do check-up? Para saber a resposta, VivaSaúde consultou um time de especialistas em busca dos 25 exames mais importantes em todas as etapas da vida, tanto para homens quanto para mulheres. Dos testes feitos em recém-nascidos até exames essenciais da terceira idade, saiba quando e porque fazer cada um deles.

Exames para BEBÊS

1- Teste do pezinho
o que é: O exame identifica erros de metabolismo que podem causar deficiência mental, como fenilcetonúria e hipotireoidismo congênito, além de anemia falciforme, que causa a destruição crônica das hemácias (células vermelhas do sangue).
Quando realizá-lo: Entre o terceiro e o sétimo dia de vida do bebê.
como é feito: A partir de gotas de sangue colhidas do calcanhar do recém nascido. Não provoca dor à criança.
Rede pública X particular: Toda criança brasileira tem direito ao teste, gratuito. Existe uma versão ampliada que permite identificar mais de 30 doenças, mas não está disponível na rede pública.
Preço: Gratuito.

2- Teste do olhinho (ou teste do reflexo vermelho)
o que é: Reconhece doenças como retinoblastoma, o tumor maligno ocular mais frequente em crianças; catarata, que compromete seriamente a visão; e glaucoma congênito, que pode levar à cegueira.
Quando realizá-lo: Nas primeiras 48 horas de vida do bebê.
como é feito: É um exame ocular realizado em recém-nascidos com oftalmoscópio direto.
Rede pública X particular: É obrigatório em todas as maternidades e estabelecimentos hospitalares do país.
Preço: Gratuito.

3- Teste da orelhinha
o que é: O objetivo principal é a identificação precoce da deficiência auditiva, já que ouvir bem é fundamental para o desenvolvimento da fala e da linguagem da criança.
Quando realizá-lo: Nos três primeiros meses de vida.
como é feito: O exame demora entre três e cinco minutos e é realizado por um fonoaudiólogo, com um pequeno fone na parte externa da orelha.
Rede pública X particular: É obrigatório em todos os bebês nascidos em hospitais e maternidades do país.
Preço: Gratuito.

Exames para CRIANÇAS

4- Exame oftalmológico 
o que é: Serve para corrigir problemas comuns de grau, como miopia, hipermetropia e astigmatismo.
Quando realizá-lo: Por volta dos três anos de idade, quando a criança consegue fornecer informações sobre seu aparelho visual, devendo ser repetido anualmente.
como é feito: No próprio consultório, o médico mede a acuidade visual, avalia a musculatura ocular extrínseca e faz a biomicroscopia e o mapeamento de retina.
Rede pública X particular: É feito em ambas, porém, o custo deve ser consultado na sua cidade.
Preço: Varia de acordo com o preço da consulta médica.

5- Radiografia panorÂmiCa de toda a Coluna vertebral
o que é: Este exame é capaz de identificar escoliose e outras malformações de coluna que podem ser corrigidas na infância, quando as placas de crescimento ósseo ainda não fecharam
Quando realizá-lo: Uma vez por ano, para verificar se não há alterações na formação da coluna da criança.
como é feito: Faz-se um raio X de toda a coluna vertebral.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 50 e R$ 450.

6- Hemograma Completo Com Contagem de plaquetas
o que é: Analisa as células presentes no sangue, tanto da série vermelha quanto da série branca, e visa a detectar anemia, baixa imunidade, infecções bacterianas ou viróticas, infestações parasitárias, alergia e leucemia, entre outras doenças.
Quando realizá-lo: Pelo menos uma vez por ano.
como é feito: Por meio de coleta de amostragens de sangue e análise laboratorial.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 15 e R$ 60.

7- Eletroforese de lipoproteínas
O que é: Mede os níveis de colesterol e triglicérides, permitindo que a criança controle doenças cardiovasculares, diabetes, obesidade, hipertensão arterial e doenças renais precocemente.
Quando realizá-lo: Pelo menos uma vez ao ano. Em caso de obesidade, hipertensão e dislipidemia, a cada seis meses.
Como é feito: É preciso jejum de 12 horas antes da punção venosa, evitando exercícios físicos e dieta fora do habitual até três dias antes do exame.
Rede pública X particular: É realizado somente na rede particular.
Preço: entre R$ 10 e R$ 150.

Exames para ADOLESCENTES

8- Eletrocardiograma (ECG)
O que é: um exame simples e complementar para toda avaliação cardiológica, capaz de detectar alterações cardíacas, se a sequência de batimentos é normal e, assim, diagnosticar o infarto agudo do miocárdio precocemente.
Quando realizá-lo: Durante consultas de rotinas, anualmente, ou em caso de dores no peito, em até 10 minutos após a chegada no pronto-socorro.
Como é feito: Com a pessoa em repouso, são colocados 12 eletrodos nas pernas, braços e tórax, que captam a atividade elétrica do coração.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 20 e R$ 380.

9- Prova de função pulmonar
O que é: Também conhecido como espirometria, mede o fluxo e o volume do pulmão, para identificar problemas nesse órgão.
Quando realizá-lo: Uma vez por ano, ou quando o seu médico achar necessário.
Como é feito: O paciente assopra bem forte no aparelho com os lábios no bocal e o nariz tampado.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 80 e R$ 345.

10 - Colposcopia
O que é: É o único exame que permite descobrir HPV e câncer do colo do útero em fase inicial.
Quando realizá-lo: Recomendado para mulheres com vida sexualmente ativa que tem um resultado anormal do exame de Papanicolau, alteração de exame ginecológico ou suspeita de HPV.
Como é feito: Após colocar o espéculo vaginal, o médico examina o colo do útero com o colposcópio, que aumenta de 10 a 40 vezes o tamanho normal.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 90 e R$ 250.

11- Papanicolau 
O que é: Para detectar o vírus HPV e outras doenças que podem ocorrer no colo do útero, como o câncer. Quando realizá-lo: Pelo menos uma vez ao ano em mulheres com vida sexualmente ativa.
Como é feito: Introduz-se um instrumento chamado espéculo pelo canal vaginal para recolher células da parte final do útero para exame microscópico.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 20 e R$ 155.

12 - Ultrassonografia pélvica
O que é: Esse exame é usado para detectar doenças na região (útero, trompas, artérias e veias), além de localizar tumores e crescimentos anormais dos ovários.
Quando realizá-lo: Normalmente, o médico irá solicitar o exame para identificar causas de sangramentos anormais. Como é feito: O paciente deve ingerir cerca de seis copos de água duas horas antes do procedimento para que a bexiga esteja cheia para o exame, tornando as imagens muito mais claras.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 50 e R$ 360.

Exames para ADULTOS

13 - Eletroencefalograma (EEG ) 
O que é: O objetivo é obter registro da atividade elétrica cerebral.
Quando realizá-lo: Em pacientes com suspeita de epilepsia e outras doenças neurológicas ou infecciosas.
Como é feito: Colocam-se eletrodos no couro cabeludo.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 60 e R$ 400.

14 - Ultrassonografia de abdome total
O que é: Utilizado para avaliação e diagnóstico de alterações no fígado, vesícula biliar, rins, pâncreas, bexiga, grandes vasos, e, eventualmente, desce do trato gastrointestinal.
Quando realizá-lo: Uma vez por ano, mas caso o paciente apresente alguma alteração, o médico pode solicitar acompanhamento.
Como é feito: O paciente deve ingerir quatro copos de água até duas horas antes do exame, para que as imagens fiquem mais claras.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 100 e R$ 700.

15 - Teste ergoespirométrico 
O que é: Uma avaliação dinâmica do coração que busca sinais de arritmias desencadeadas durante o esforço físico, no intuito de detectar doença coronariana e risco de infarto.
Quando realizá-lo: Anualmente, em indivíduos com mais de 35 anos de idade como avaliação de risco para infarto, ou em atletas, semestralmente.
Como é feito: Em uma esteira elétrica, o paciente usa uma máscara com analisador de oxigênio e sensor que detecta as variáveis ventilatórias. Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 180 e R$ 400.

16 - Tipagem sanguínea ABO -Rh 
O que é: É feito para checar a compatibilidade sanguínea entre um casal. Se a mãe possui sangue tipo Rh negativo e o pai é Rh positivo, por exemplo, existe a possibilidade de a criança ser Rh positiva e a mãe, por ser Rh negativo, pode produzir anticorpos contra o feto e causar doença hemolítica.
Quando realizá-lo: Pode ser feito em qualquer fase da vida, mas deve ser obrigatório em casais que planejam ter filhos, como parte do pré-natal.
Como é feito: Por meio do exame de sangue.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 10 e R$ 100.

17 - Exames de dosagem hormonal
O que é: Capaz de detectar problemas como distúrbios menstruais ou da tireoide com exatidão.
Quando realizá-lo: No mínimo uma vez ao ano.
Como é feito: Trata-se de um exame de sangue em que se medem os níveis de hormônios como FSH, LH, prolactina, estrógenos, progesterona plasmática, T3, T4, TSH e testosterona.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: R$ 80, em média, de acordo com o tipo de exame.

18- Mamografia 
O que é: o método mais eficaz para a detecção de câncer de mama.
Quando realizá-lo: Anualmente, após os 40 anos de idade.
Como é feito: A mama é posicionada no aparelho de raio X, e então comprimida vertical e horizontalmente.
Rede pública X particular: Feito em ambas.

19 - DHEA plasmático
O que é: O exame DHEA (dehidroepiandrosterona) é usado para avaliar a função das glândulas adrenais como parte do planejamento de fertilidade, em crianças com puberdade precoce ou para rastreamento de doenças genéticas.
Quando realizá-lo: Quando houver suspeita de estresse acentuado, ou investigação de necessidade de reposição hormonal masculina a partir dos 40 anos.
Como é feito: Por meio de exame de sangue, mas antes é preciso ficar oito horas em jejum completo.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 35 e R$ 100

20 - Sangue oculto nas fezes
O que é: Verifica a necessidade de realização da colonoscopia, em casos de suspeita de câncer de intestino.
Quando realizá-lo: A partir dos 50 anos de idade, anualmente.
Como é feito: Por meio de exame de fezes.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 20 e R$ 70.

21 - Ecocardiograma com Doppler 
O que é: Serve para avaliar a estrutura anatômica do coração e confirmar ou descartar alterações nas válvulas cardíacas, que, nos idosos, geralmente provêm de doenças degenerativas.
Quando realizá-lo: Em qualquer idade e sempre que houver maior chance da pessoa possuir alterações anatômicas e funcionais. Por exemplo, crianças com suspeita de doenças cardíacas congênitas e adultos com possibilidade de doenças do coração.
Como é feito: Por meio de ultrassom, obtêm-se várias imagens do coração em cores, que são registradas em papel posteriormente.
 Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 120 e R$ 150.

22- Dosagem de vitamina B12 e de acido fólico 
O que é: A falta de vitamina B12 no organismo pode causar anemia e alterações neurológicas progressivas, se não houver tratamento. A interação dessa vitamina com o ácido fólico é essencial para a proliferação dos glóbulos do sangue, por isso este exame medirá os níveis dessas duas substâncias no organismo.
Quando realizá-lo: Em pacientes com queixa de memória, principalmente a partir dos 65 anos de idade.
Como é feito: Por meio de exame de sangue.
Rede pública X particular: Atualmente, é feito somente na rede particular.
Preço: entre R$ 30 e R$ 80 (cada exame, separadamente).

23 - Dosagem de vitamina D
O que é: Além do tradicional impacto negativo na massa óssea, os níveis baixos de vitamina D estão relacionados a um maior risco de diabetes tipo 2, aumento dos níveis de colesterol e até mesmo infarto agudo do miocárdio e acidente vascular cerebral (AVC).
Quando realizá-lo: Anualmente, a partir dos 40 anos de idade.
Como é feito: Por meio de exame de sangue.
Rede pública X particular: Atualmente, é feito somente na rede particular.
Preço: entre R$ 60 e R$ 150.

24 - Radiografia simples da coluna lombar 
O que é: teste para descartar metástases ósseas de neoplasias de mama, próstata ou pulmão.
Quando realizá-lo: Em pacientes com queixas de dores.
Como é feito: raio X da coluna.
Rede pública X particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 50 e R$ 260.

25 - Densitometria óssea 
O que é: O melhor método para medir a densidade óssea e, assim, diagnosticar a osteoporose e outras doenças que atacam os ossos.
Quando realizá-lo: A partir dos 30 anos de idade, o ginecologista deve monitorar a perda óssea da mulher anualmente. Os homens também podem fazer o exame a partir dos 40 anos.
Como é feito: Por meio de um aparelho que mede a massa óssea de determinados ossos do corpo, verificando a quantidade de perda óssea e determinando o risco de fraturas.
Rede pública x particular: É feito em ambas.
Preço: entre R$ 100 e R$ 300.

* preços consultados nas centrais de atendimento dos laboratórios cine-hdc, delboni auriemo, fleury e lavoisier popular. variam de acordo com o estado e o laboratório. consultoria: alexandre pupo nogueira, ginecologista do hospital sírio-libanês (sp); alice estevo dias, fonoaudióloga do centro de dor e neurocirurgia funcional do hospital 9 de julho (sp); aline vieira, supervisora do setor de cosmiatria da universidade federal do rio de janeiro (ufrj); ana cristina camarozano, cardiologista do hospital de medicina e cirurgia do paraná; benjamin heck, médico geneticista e consultor do hospital infantil sabará (sp); charles costa de farias, oftalmologista da cerpo oftalmologia (sp); christina may moran de brito, fisiatra do centro de reabilitação do hospital sírio-libanês (sp); cristina abdalla, dermatologista do hospital sírio-libanês (sp); denis pajecki, gastroenterologista do centro especializado em cirurgias minimamente i nvasi vas (cecmi); denise coimbra, ginecologista e obstetra formada pela santa casa de são paulo; di va fukuma, fisioterapeuta do centro de dor e neurocirurgia funcional do hospital 9 de julho (sp); eduardo cadidé, fisioterapeuta da clínica physio center (sp); eduardo mutarelli, neurologista do hospital sírio-libanês (sp); fausto trigo, hematologista do hospital síriolibanês (sp); fernanda machado soares, nutricionista membro da sociedade brasileira de alimentação e nutrição (sban); fernando cembranelli, clínico geral da consultoria bencorp (sp); flávio cure, cardiologista e fundador da ong rio coração; helio castello, cardiologista e coordenador do centro de hemodinâmica e intervenções cardiovasculares do hospital bandeirantes (sp); josé carlos aquino de campos velho, geri atra do hospital santa catari na (sp); marcelo vieira, andrologista do projeto beta de reprodução assistida com responsabilidade social e médico do hospital pérola byington (sp); mônica menon, otorrinolaringologista do hospital sírio-libanês (sp); newton kara júnior, oftalmologista do hospital sírio-libanês (sp); rodrigo moreira, endocrinologista membro da sociedade brasileira de endocrinologia e metabologia (sbem); sandra da si lva maria, nutricionista do cecmi; sylvana braga, nutróloga; wladimir genovesi, dentista do centro de dor e neurocirurgia funcional do hospital 9 de julho (sp).

Fonte: http://revistavivasaude.uol.com.br/saude-nutricao/79/artigo154923-3.asp

Nenhum comentário:

Postar um comentário